Pilates x Yoga: Entendendo as Diferenças.

Home » Yoga» Pilates x Yoga: Entendendo as Diferenças.

Fique por dentro das diferenças entre os métodos e conheça as vantagens de cada uma das práticas que têm conquistado mais adeptos a cada dia

O pilates e o yoga são duas modalidades que têm sido muito procuradas por pessoas de todas as idades. Mas, muitos ainda confundem as duas práticas. No entanto, as únicas semelhanças entre elas é que são feitas no solo, em estúdio e sem tênis. Você sabe a diferença entre elas?

 

Eleger qual entre as duas atividades é a melhor sempre é difícil. Até mesmo porque o conceito de melhor está atrelado a objetivos e metas, ou seja, fatores extremamente pessoais. Assim, o que pode ser melhor para um, pode não ser bom para o outro e assim por diante.

Para mostrar o que cada uma das práticas pode oferecer de bom para você, preparamos este artigo para informar os benefícios e como funciona cada tipo de treino. Dessa forma, você pode tirar suas próprias conclusões.

 

Origens

 

Criada na Índia, a Yoga é uma prática muito antiga e há indícios de que já era praticada desde quatro mil anos antes de Cristo. O nome da prática faz referência à busca para alinhar o corpo e a mente.

 

Trata-se de um conjunto de práticas de movimentos, exercícios respiratórios, meditação e mantras. A filosofia da Yoga é de que o corpo e mente são um só e que dadas as ferramentas corretas e o ambiente certo elas encontrarão harmonia e cura.

 

Já o pilates nasceu muito tempo depois. Idealizado pelo alemão Joseph Pilates, teve maior reconhecimento durante a Primeira Guerra Mundial, quando usou a técnica para melhorar a saúde dos internos do campo de concentração de lancaster, na Inglaterra. Desde então, foram criados equipamentos específicos para a prática. Hoje em dia é comum ver um profissional da fisioterapia ou educação física realizando realizando curso de pilates , já que é uma metodologia muito de moda.

 

Mas, afinal, quais são as diferenças?

 

Existem muitas semelhanças entre os dois métodos, que também podemos chamar de “estilos de vida”. E essas semelhanças não são simples coincidências. Joseph Pilates se inspirou em uma série de referências ao compor seu repertório de exercícios e rotinas, que até hoje se destacam pela simplicidade e eficiência. Uma delas, declaradamente, foi o Yoga.

 

A diferença fundamental do pilates é que o trabalho é feito no solo, com exercícios feitos em equipamentos próprios para o exercício. Outra diferença é a atenção que o pilates dá à musculatura abdominal, melhorando a postura, estabilizando e alongando a coluna, melhorando o equilíbrio e a força total.

 

Em resumo, o pilates necessita do acompanhamento de aparelhos específicos para a prática, e a yoga não necessariamente. Enquanto o pilates prioriza o corpo saudável e a boa forma, o objetivo da yoga é a conexão do corpo e da mente.

 

Objetivos e metas

 

Antes de mais nada é importante saber que o gasto calórico varia de acordo com o nível de condicionamento de cada um e com fatores metabólicos. Estes números apresentados são estimativas e podem variar para mais ou para menos.

 

Assim, uma aula de pilates pode queimar até 550 calorias para um praticante avançado e cerca de 380 calorias para iniciantes. Mas estes são gastos apenas durante a atividade. No gasto calórico total, o número pode chegar a mais de 900 calorias.

 

Já na yoga, o gasto vai depender muito do estilo de prática escolhido. De uma forma geral, os estilos priorizam o exercício físico, como a Power Yoga ou Hata Yoga por exemplo, pode ter queima de cerca de 450 calorias por aula. Assim como o pilates, o gasto calórico total também é mais elevado, chegando a queimar cerca de 800 calorias no total.

 

Fortalecimento da musculatura

 

Este é um ponto chave para ambas as práticas. É, justamente, o fortalecimento e estabilização muscular o principal objetivo da maioria das pessoas que buscam o pilates ou a yoga conscientemente.

 

As duas atividades promovem o fortalecimento e estabilidade muscular bastante satisfatórias em seus praticantes. Ambas proporcionam a melhora do tônus muscular, promovendo melhora do metabolismo basal.

 

Cada uma das atividades pode trazer ganhos para sua saúde e seu corpo, porém dentro dos objetivos e expectativas de cada. Cabe a você escolher qual delas se enquadra melhor em seu estilo e objetivos.

 

Conseguiu escolher qual das duas práticas é melhor para você? Ainda está com dúvidas? Conta pra gente nos comentários!

 

Deixe seu comentário

Junte-se a nossa lista VIP

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade